Após a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal interromperem prestações de serviços por falta de dinheiro, parece que a próxima será a Defensoria Pública da União (DPU). A associação de servidores do órgão (Anadef) diz que o atendimento à população está sob risco pelo fato de o Ministério do Planejamento ter deixado de repassar R$ 40 milhões desde janeiro. A associação cogita a hipótese de ingressar com uma ação no Supremo Tribunal Federal a fim de garantir a transferência do dinheiro.

>> PF acaba com grupo de trabalho da Lava Jato em Curitiba