Carrinho de Compras: TST gasta quase R$ 200 mil com serviços de jardinagem

0
38

Carrinho de Compras: TST gasta quase R$ 200 mil com serviços de jardinagem

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) prorrogou o contrato com a empresa ASC Serviços Profissionais Ltda, que presta serviços de manutenção e conservação dos jardins da Corte.

O TST reservou R$ 176,8 mil para prorrogação referente ao período de 1º de setembro a 29 de novembro de 2017. O levantamento é da ONG Contas Abertas.

Edital
O edital de licitação do contrato prevê 11 postos de trabalho para o serviço, sendo 10 jardineiros e 1 encarregado de jardim. A área verde do TST soma mais de 44 mil m².

Verde
O contrato ainda aponta o fornecimento de materiais, insumos e equipamentos adequados à execução dos trabalhos. A preocupação com o “verde” deve ser grande no TST. O Tribunal também empenhou R$ 26,5 mil para a compra de 100% reciclado em cor palha clara. Ao todo são 2.125 pacotes de papel no formato A4.

Cafézinho
Ao que parece o estoque de açúcar e adoçante do Tribunal Superior Eleitoral acabou junto com o polêmico julgamento da chapa Dilma-Temer. A Corte reservou R$ 16 mil para a aquisição de 6 toneladas de açúcar cristal, 200 kg de açúcar refinado e 200 frascos de 100 ml de adoçante a base sucralose da Marca ZeroCal.

Copeiro
Para servir o “cafezinho” adocicado pela compra acima, o TSE também prorrogou até julho de 2018 o contrato para serviços de copeiro e garçom da Corte. Para o primeiro termo aditivo do contrato com a G&E Serviços Terceirizados Ltda foram empenhados R$ 1,3 milhão.

Obra
O Superior Tribunal de Justiça (STJ), por sua vez, reservou quase R$ 600 mil para a execução de revestimento de alto desempenho (RAD) e sinalização horizontal (demarcação de vagas) no piso de concreto da garagem do subsolo do bloco “f” da sede do Tribunal, em Brasília.

Smartphones
A Câmara dos Deputados reservou R$ 5,4 mil para a compra de seis smartphones. O pedido foi realizado pela Secretaria de Comunicação da Casa.

Cultura
O Tribunal de Contas da União (TCU) reservou R$ 337,7 mil para serviços especializados continuados de Produção Cultural, de Produção de Arte Educação para o Espaço Cultural Marcantonio Vilaça, e de Pesquisa, Documentação e Informação Histórica e de Museologia para o Museu do TCU Guido Mondin. Os serviço são prestados nas dependências do Tribunal, em Brasília.

Ao todo são quatro postos de trabalho de 8h diárias (40 horas semanais cada um). A contratação dos serviços visa a suprir as demandas dos locais culturais com exposições, mostras, projetos, cursos e encontros culturais, além de debates, seminários e oficinas para crianças, vinculados às exposições.

Tudo OK!?
O levantamento é do portal Contas Abertas. A publicação ressalta que, em princípio, não existe nenhuma ilegalidade nem irregularidade neste tipo de gasto feito pela União e que o eventual cancelamento de tais empenhos certamente não ajudaria, por exemplo, na manutenção do superávit do governo ou em uma redução significativa de despesas.

A intenção de publicar essas aquisições é popularizar a discussão em torno dos gastos públicos junto ao cidadão comum, no intuito de aumentar a transparência e o controle social, além de mostrar que a Administração Pública também possui, além de contas complexas, despesas curiosas.

Com informações do portal Contas Abertas