“Estou bem sozinha. E não procuro ninguém”, diz drag queen Pabllo Vittar

0
48

Em um intervalo de menos de um ano, a drag queen Pabllo Vittar, vocalista da banda do programa Amor e Sexo, da TV Globo, teve uma ascensão meteórica na carreira. "Todo Dia”, um dos hits do Carnaval 2017, é o clipe original de uma drag queen mais visto do YouTube, superando, inclusive, vídeos de Ru Paul, drag queen americana de maior visibilidade no mundo. Após o lançamento de seu primeiro CD, Vai passar mal, a agenda de shows de Pabllo teve um boom, com  apresentações todo o fim de semana, em todo o país. Já a agenda do coração continua vaga. “Estou bem sozinha. E não procuro ninguém”, contou a maranhanse antes de subir no trio da Uber para sua apresentação na Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, neste domingo (18). 

Questionadasobre o motivo de ser a única drag queen com projeção nacional na música pop, Pabllo disse que o reconhecimento atual “é fruto de um trabalho de anos de sonhos”. A participação no programa Amor e Sexo deu um empurrãozinho. “Amei participar das duas temporadas do programa. Foram experiências que validaram muito meu trabalho. E me fizeram crescer muito como pessoa. À toda produção, Fernanda Lima [apresentadora], diretores, só tenho a agradecer.”

 


Como drag queen, Pabllo costuma se posicionar firmemente em defesa da comunidade LGBT. Sobre o engajamento de outras cantoras da cena pop brasileira, como Anitta e Ivete Sangalo, ela diz que “todo mundo pode fazer um pouco mais” pela causa. “A gente que é artista, conhecido, tem que botar nossa boca no trombone mesmo. Usar da nossa imagem para falar dessas causas. Não só dessas, mas também de outras.” No começo do mês, Pabllo lançou com Anitta e o trio americano Major Lazer a música Sua Cara, que já soma quase 12 milhões de visualizações no YouTube.

*Colaborou Luís Lima, repórter da Época.