Socorro! Foram muitos singles de música pop sendo lançados ao mesmo tempo. O que aconteceu? Foi a Susan Miller avisando que o Mercúrio não estava mais retrógrado e aí todo mundo apareceu com coisa nova?

Tá, o assunto não é astrologia. É pop, é Camila Cabello, é Iggy com a Anitta, é Katy Perry com a Nicki Minaj, Selenão e muito mais. Trago nesse post as principais faixas do pop lançadas nessa semana para dar meus dois centavos em cada uma delas.

Ouvi todas as músicas pelo menos umas cinco vezes pra ter certeza mesmo do que achei/senti/ouvi. Porque tem aquelas músicas que crescem e melhoram na medida que você ouve mais algumas vezes (não foi o caso da faixa da Iggy Azalea, por exemplo).


Mas vamos lá então?

Switch – Iggy Azalea feat. Anitta

Olha, o refrão é legal. Adorei ver a Anitta metida com essa gringa, pra ter projeção internacional, mas é uma pena que a faixa não é muito boa. Ela merecia algo mais legal. É uma produção boa, tem batidas legais, tipo de música pop feita pro rádio, nada errado nesse sentido.

Mas é uma faixa fraca. Assim… Não é que a música seja muuuuuito ruim. Só é ruim mesmo. Ainda é difícil engolir/respeitar Iggy como rapper. Nunca consegui. Fosse uma música da Anitta feat. Iggy Azalea, tenho certeza que seria cinco vezes melhor.

Bad Liar – Selena Gomez

É a minha faixa favorita da semana. Cada vez que escuto, mais amo. Os produtores/escritores da faixa, Justin Tranter e Julia Michaels, foram espertos em ter jogado um sample de “Psycho Killer” do Talking Heads pra levar a música em cima daquele riff icônico, com aquele baixo lindo.

Mas fizeram melhor que isso: criaram algo totalmente novo em cima do velho. A música vai num crescente lindo do meio para o fim, é dançante, é pop. “Bad Liar” é como a música pop precisa ser: inovadora, boa, criativa, com refrão delicioso, letra esperta. Selena, sua cabeçuda filha da puta, você arrasou.

Crying in the Club – Camila Cabello

Se a faixa anterior da Selena é tudo o que a música pop precisa ser, essa da CABEJJO, é tudo que a música pop devia começar a parar de ser: um produtão genérico.

Acho que é um começo ruim pra Camila. Ela pode ter saído do Fifth Harmony, mas o tipo de som que a banda faz ainda não saiu dela. E se ela saiu para valorizar a individualidade, cadê a personalidade dela na faixa? Podia ser qualquer uma cantando. Podia ser a Miley. Até as músicas da Iggy, mesmo não sendo boas, dá para reconhecer que é algo da Iggy.

Mas aí a Camila vai lá e pega a Sia pra escrever junto com ela e o Benny Blanco. Ficou parecendo uma música da Sia. Eu adoro essa garota assim como todas as outras do Fifth Harmony, mas vamos trabalhar um pouco mais aí, amiga. Não fica com medo de arriscar, não. Você já tem uma fanbase gigante que vai apoiar tudo o que você fizer. Vão até me encher o saco por eu não ter curtido a faixa. Então pra que ter medo?

Swish Swish – Katy Perry feat. Nicki Minaj

Eu adoro essa. Eu adoro a homenagem ao house clássico, ao dance poperô, ao eurodance. A música já começa com um sample de “Star 69” do Fatboy Slim. “They know what is what, but they don’t know what is what, they just strut”.

Música pop linda. Finalmente um acerto da Katy Perry nesse novo álbum. Eu gosto do primeiro single, mas acho que a escolha de “Chained to the Rhythm”, música da Sia, apesar de boa, é uma música da Sia. E uma música da Sia… É uma música da Sia. Eu ouvi que já estamos saturados? Oi? Ahn?

“Swish Swish” é altamente dançante, pop e divertida. Faz o teste. Coloca essa música bem alta num som bom. Vai dar alguns minutos e vocês vão estar brincando de desfilar, dar pinta e dançar. O rap da Nicki Minaj é ótimo. A batida da música é deliciosa.

Miley Cyrus – Malibu

Uma fofura. Música pra escutar no carro, pra ouvir em movimento, viajando… Parece fofa, mas tem peso na composição. Amo as palminhas.

Tá vendo? Na música pop, se você não tem personalidade e presença e não é reconhecida nos primeiros segundos da música, grande chance de não continuar. Por isso Miley continua no meio de nós. Música linda, fofa, romântica, beeeem diferente da Miley loucona, mas, mesmo assim, nós conseguimos ver a cara dela, a personalidade dela.

Lia Clark ft. Pabllo Vittar – Tome Curtindo (Brabo Remix)

Isso é coisa que só o Brasil faz por você. É uma piada divertidíssima. E o melhor de tudo: ainda dá pra dançar. Quando isso toca na balada, todo mundo desce até o chão. São duas das drag queens mais legais do pop brasileiro unidas para brincar de Beyoncé e Nicki Minaj.

O final da música, produzida pelo Brabo, é insanoooo! Falar mal disso é ser a pessoa mais mal humorada e chata do mundo. E olha que eu sou essa pessoa às vezes. Amei. E tome cu, tome curtindo. Eu não vejo a hora da Anitta se misturar com essas meninas pro mundo cair.

Bebe Rexha ft. Lil Wayne – The Way I Are (Dance with Somebody)

“Desculpa. Eu não sou a mais bonita. Eu nunca vou cantar como a Whitney. Mas eu quero dance with somebody”. Tem coisa mais legal que começar uma batida de música pop depois de falar isso? É assim que a Bebe Rexha começa a letra de “The Way I Are (Dance With Somebody)”, uma música pop dance, uma singela homenagem à Whitney.

Eu acho que o Lil Wayne entra muito cedo na música e atrapalha a gente de conhecer melhor e namorar a música e os vocais da Bebe, que são ótimos desde o começo. É uma faixa bem legal, de qualquer forma.

Liam Payne – Strip That Down

O Zayn saiu mais cedo da banda, lançou coisa nova, foi celebrado, Niall fez o mesmo, Louis também, aí veio o Harry agora e, correndo, chega o Liam Payne.

E o garoto, coisa linda, chegou correndo, tirando a roupa (talvez pra chamar nossa atenção e lembrar que tem mais um do One Direction saindo solo com música nova). Eu acho que ele pode ficar pelado a hora que quiser. Mas queria por um motivo melhor. Pode ser por uma música muito boa, nem precisa ser pra se jogar na nossa cama. Mas se era pra chamar nossa atenção pra “Strip That Down”, não valeu muito. Mais uma vez, pop genérico.

A faixa pode ser de qualquer artista pop. Não tô dizendo que é ruim, não. Mas é datado, não é novo. Parece um Timberlake do primeiro álbum.

Lana Del Rey – Coachella – Woodstock In My Mind

Uma música da Lana é uma música da Lana. A gente já sabe o que esperar. Essa não tem muuuuuita novidade, a cantora ainda é a mesma e isso é ok. Não é por ser uma cantora pop que você precisa ficar a louca camaleoa (viu, Katy Perry?).

Lana preferiu jogar uma batida insana eletrônica de fundo e caprichar no que sabe fazer melhor: composição. Nessa música, ela vai pro Coachella com o homem dela, com flores, cabelões, coroas… O legal é que ela pinta um quadro quando canta. É muito visual tudo. Eu gosto dessa faixa, mas ainda prefiro a anterior, “Lust for Life”, com o The Weeknd.

Mallu Magalhães – Você não Presta

Vamos terminar esse post com música boa brasileira? Parece Elis Regina, é MPB, é samba, mas essa voz doce é Mallu Magalhães. Ela precisou ir morar em Portugal para ficar ainda mais brasileira e mergulhar de cabeça no sambão. Faixa lindinha. Amo os metais.

É isso, amiguinhos!

É claro que essas são as minhas opiniões sobre os lançamentos da semana. É óbvio que vocês podem concordar ou discordar. Sugiro usar os comentários pra deixar as impressões de vocês e gente fofocar e discutir as faixas juntos.

Cadê a Lorde?

Eu fiquei com saudade da Lorde. Eu queria uma música nova dela por semana. Ainda acho que ela vai ser a coisa mais legal do pop em 2017. Aguardo com ansiedade o novo álbum que sai dia 16. Aliás, aproveitando pra fazer propaganda. Já viram a entrevista que a gente fez com ela lá em Los Angeles? :)

Beijos!

O post Iggy com Anitta, Selenão, Camila, Katy: o que eu achei dos lançamentos pop da semana apareceu primeiro em PAPELPOP.