Para a gatinha Clarice, começou “apenas” com mau hálito, terminou em cirurgia

0
13

Clara e Clarice são duas gatinhas de meia idade que dividem o lar com o casal Caio e Marta. Comilonas e brincalhonas, fazem a alegria da casa. Como o casal trabalha fora o dia todo, nenhum dos dois percebeu que Clarice estava com dificuldade para comer. Certo dia, notaram um machucado no rosto da gata.

 

Pelo ferimento, saía um líquido rosado com cheiro forte e desagradável. O segundo susto veio quando uma veterinária, após fazer um exame, mostrou ao casal como estava a boca da gatinha. Havia muito tártaro, a gengiva estava bastante inflamada e um dos dentes tinha um abscesso, que acabou drenando externamente no rostinho da gata. Foi possível notar que Clarice sentia dor por causa da inflamação e da infecção na boca. E essa era apenas a parte mais visível do problema.

>> O clima seco e frio favorece a transmissão de tosse entre animais. O que fazer?

>> A urina do seu gato pode revelar infecções, cálculos e outros problemas

Os microrganismos agridem também as estruturas que estão ao redor dos dentes, responsáveis pela proteção e sustentação. As toxinas da doença periodontal caem na corrente sanguínea e causam lesões e infecção em rins, fígado, coração, estomago, esôfago, intestino e outros órgãos. Podem levar a insuficiência ou danos fatais. Clarice passou por exames de sangue para avaliar células vermelhas, células de defesa, coagulação, taxa de glicose (açúcar) e funções dos rins e fígado. Foi submetida a exames de imagem, como radiografia, ultrassonografia e eletrocardiograma. Precisou ser medicada com analgésico, anti-inflamatório e antibiótico, para então ser submetida a anestesia. Assim, os veterinários puderam fazer uma limpeza cuidadosa de todos os dentes, higienização da boca e da lesão causada pelo dente doente, que infelizmente Clarice perdeu. Ele estava tão comprometido que não havia como preservá-lo.

Por isso é importante monitorar a saúde bucal dos bichos de estimação, incluindo um sinal óbvio, o mau hálito. O tártaro é um dos principais responsáveis pelo mau cheiro, mas o problema pode aumentar. O acúmulo de alimento, as bactérias e suas toxinas prejudicam boca, gengiva e dentes, além de comprometer a saúde geral e diminuir a sobrevida do animal.

>> Áreas ambientais protegidas viram moeda de troca com a bancada ruralista

>> Por que a prática de puxar bois violentamente pela cauda não conta como maus-tratos?

O hálito de Clarice melhorou e após 10 dias a fistula no rosto cicatrizou. Clara não chegou a sofrer como Clarice, mas tinha acúmulo de tártaro e gengivite. Após passar pela bateria de exames, anestesia e limpeza criteriosa dos dentes feita pela veterinária, ela também estava pronta para voltar pra casa. Marta aprendeu como higienizar os dentes das gatas respeitando o tempinho delas, sempre com estímulos positivos. Foi mais fácil que ela pensava: dois meses depois do episódio, Marta e Caio já incluíram a escovação e higiene bucal de Clara e Clarice em três dias da semana. O casal está atento para manter a gatinhas com os dentes limpos, sem dor nem incômodo. Com o tempo, mesmo com esse ritual de escovação, o tártaro voltará a acumular nos dentes das felinas e será necessária nova limpeza, sob anestesia geral no veterinário. Mas será uma limpeza preventiva, sem traumas.

E você? Escova os dentes de seu pet? Já conversou com um médico veterinário sobre a saúde dos dentes e da boca do seu bichinho?

>> Qual é a melhor opção para o seu pet nas férias?