O advogado Samuel José Orro Silva protocolou habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (19) para que o inquérito aberto contra o presidente Michel Temer no âmbito da Operação Lava Jato seja arquivado. É o primeiro pedido formal contra a investigação solicitada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Vinculado a um escritório de Taubaté, o autor do pedido argumenta que a investigação se baseia em prova "frágil e tendenciosa, pois produzida forçadamente e com viés (não existe clareza de compra de silêncio etc) foi produzida de maneira ilegal. O autor do HC pede a tramitação prioritária do processo por ser "o paciente idoso. O relator do caso é o ministro Luís Roberto Barroso.

>> Temer queria controlar propina para PMDB do Senado, diz delator