Temer articula negociações com aliados para se manter na Presidência

0
38

O presidente Michel Temer batalhava nesta sexta-feira para se manter no cargo após revelações que o colocaram em situação complicada e deixaram seu destino nas mãos dos aliados tentados a abandonar o barco em um Congresso infestado pela corrupção.

O chefe de Estado se reuniu pela manhã com seus principais ministros, deixando para o fim da tarde um encontro com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e com os comandos militares.

“O governo está trabalhando em três frentes para voltar à normalidade depois da crise: política, judicial e econômica. O próprio presidente faz parte das negociações com a base aliada”, disseram à AFP fontes do Palácio do Planalto.

Na quinta-feira, Temer rechaçou enfaticamente a possibilidade de renunciar depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a abertura de um inquérito contra ele.

O chefe de Estado, de 76 anos, é acusado de ter dado seu aval ao pagamento de propina para comprar o silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha.

De acordo com o Jornal O Globo, o presidente poderia realizar nesta sexta-feira outro pronunciamento e denunciar judicialmente o dono da gigante alimentícia JBS, Joesley Batista, que gravou clandestinamente a conversa que serviu de base para a abertura do inquérito pelo STF.

Temer enfrenta agora oito solicitações de impeachment apresentadas no Congresso e se empenha para manter sua base aliada unida.

Na quinta-feira, milhares de pessoas no Rio de Janeiro e em Brasília pediram a sua renúncia, e há mais manifestações previstas para o fim de semana.

A ex-ministra e senadora ecologista Marina Silva, que nas eleições de 2014 alcançou quase 20% dos votos, declarou que Temer “não está em condições de governar”.

O ex-presidente do STF Joaquim Barbosa comentou em seu Twitter: “não há outra saída: os brasileiros devem se mobilizar, ir para as ruas e reivindicar com força: a renúncia imediata de Michel Temer”.

– No Tribunal ou no Congresso –

O STF, encarregado de julgar casos contra membros do Executivo e do Legislativo, raramente toma decisões rápidas.

Isto deixa o procedimento de julgamento político como a via mais provável para retirar Temer do poder. Mas, para isso, a base aliada de Temer, ou pelo menos uma parte dela, teria que lhe dar as costas.

“Por isso, a primeira questão é saber se os partidos que formam a base do governo deixarão ou não o governo”, disse à AFP Thomaz Pereira, professor de Direito Constitucional na Fundação Getúlio Vargas.

Por enquanto, seu gabinete só sofreu uma baixa: o ministro da Cultura, Roberto Freire, que renunciou ao cargo na própria quinta-feira.

Temer tentará estancar a sangria, especialmente com os principais aliados do PMDB e do PSDB.

O presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati, pediu na quinta-feira que os quatro ministros do partido “permaneçam em seus cargos” até que se esclareça a magnitude das denúncias contra Temer.

O Congresso não é formado por pessoas que se chocam facilmente. Dois terços de seus membros tiveram problemas de diversos graus com a lei e um terço dos senadores está sob investigação na Operação Lava Jato.

– Mensagem positiva –

Durante o seu pronunciamento à nação, o presidente citou melhorias nas cifras da inflação, do desemprego e do crescimento econômico, e assegurou que “o otimismo está voltando” ao país, afundado há mais de dois anos na recessão.

Os mercados, que na quinta-feira despencaram, parecem escutá-lo. A Bolsa de São Paulo subia mais de 2,78% no início da tarde, após perder 8,8% na véspera, e o dólar era negociado a R$ 3,29, depois de ter chegado a R$ 3,39 na quinta-feira.

O escândalo começou com a revelação na quarta-feira pelo jornalista Lauro Jardim, d’O Globo, de que Temer havia sido gravado secretamente enquanto falava, em 7 de março, com Joesley Batista.

Na gravação, Batista diz a Temer que todos os meses dava dinheiro a Cunha “para manter as coisas sob controle”. Ao que Temer respondeu: “tem que manter isso, viu?”. Alguns analistas consideram que, para além do que foi dito, Temer deveria ter denunciado Batista imediatamente.

The post Temer articula negociações com aliados para se manter na Presidência appeared first on ISTOÉ DINHEIRO.