Tribunal nega pedido de Geddel para anular mandado de busca e apreensão

0
35

Liberado para cumprir prisão domiciliar na semana passada, o ex-ministro Geddel Vieira Lima não teve a mesma sorte ao pedir a nulidade do mandado de busca e apreensão da Operação Cui Bono, que apura fraudes em financiamentos da Caixa Econômica Federal. A Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da Primeria Região (TRF1), seguindo voto do desembargador Ney Bello, negou o pedido por unanimidade. Quem advoga para Geddel no TRF é Fernando Tourinho Neto, ex-desembargador do tribunal. 

>> Geddel e sua Operação Uruguai