Ao menos seis pessoas morreram pisoteadas e mais de 100 ficaram feridas em uma confusão ocorrida durante um show de rap em uma discoteca da cidade de Corinaldo, no centro-leste da Itália, na madrugada desde sábado (8/12).

A tragédia ocorreu na boate “La Lanterna Azzurra”, onde se apresentava o rapper Sfera Ebbasta. Segundo relatos de testemunhas, o lançamento de um spray urticante provocou pânico no público.

Entre as vítimas estão cinco adolescentes e uma mãe que acompanhava a filha no show. Os mortos foram identificados como Asia Nasoni, 14 anos; Emma Fabini, 14; Benedetta Vitali, 15; Mattia Orlandi, 15; Daniele Pongetti, 16; e Eleonora Girolimini, 39.

Dos 100 feridos, ao menos sete estão internados em estado grave e correm risco de morrer, incluindo duas mulheres e cinco homens entre 14 e 20 anos de idade. Eles sofreram traumatismos cranianos ou torácicos e estão na UTI.

Em pronunciamento, o presidente da República, Sergio Mattarella, cobrou esclarecimentos. “É uma tragédia que nos deixa petrificados. O pensamento é de proximidade e solidariedade às famílias das jovens vítimas, à sua dor dilacerante e às condições de tantos feridos, com desejo de pronta recuperação. É preciso esclarecer o ocorrido, descobrindo responsabilidades e negligências. Não se pode morrer assim”, disse.

Já o primeiro-ministro Giuseppe Conte afirmou que esse é um momento de “luto”, mas que também está claro que há “muitas perguntas sobre a responsabilidade sobre essa tragédia”. “Será preciso encontrar uma resposta clara, rápida e unívoca”, escreveu no Facebook.

Na Câmara dos Deputados, parlamentares reunidos para votar a Lei Orçamentária de 2019 fizeram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas. O papa Francisco, por sua vez, assegurou “uma lembrança em suas orações” pelos adolescentes e pela mãe mortos nesta madrugada.

Spray e superlotação
Os investigadores já trabalham para descobrir todas as causas da tragédia. Uma das hipóteses é de que a boate, cujos donos já foram ouvidos, estivesse superlotada.

“Estou profundamente entristecido pelo que aconteceu em Corinaldo, é difícil encontrar as palavras certas para expressar a dor por essa tragédia”, escreveu no Instagram o rapper Sfera Ebbasta, que chamou de “perigosa” e “estúpida” a ideia de usar spray de pimenta em uma discoteca.

Não é a primeira vez que isso acontece em um show do músico. Em agosto de 2017, uma apresentação em Modena foi interrompida porque alguém havia usado spray de pimenta no meio do público, causando correria e pânico. Na ocasião, no entanto, somente duas pessoas ficaram levemente feridas.

Deixe uma resposta