Para conter a onda de ataques violentos no estado, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), sancionou nesse domingo (13/1) novas leis contra o crime organizado, aprovadas em sessão extraordinária pela Assembleia Legislativa.

A onda de ataques que assola o Ceará teve início há quase duas semanas. Já foram queimadas torres de eletricidade, pontes, carros e ônibus. O governador Camilo Santana solicitou e foi atendido com o envio de tropas da Força Nacional, ligada ao governo federal.

Houve um aumento para 353 o número de pessoas presas ou apreendidas por participação nos atos criminosos. O balanço corresponde às capturas realizadas até o fim da tarde do domingo, 12º dia de ataques. No total, trinta e nove chefes de grupos criminosos foram transferidos para presídios federais.

Entre as medidas que passam a valer imediatamente, estão:

  • convocação de policiais militares e bombeiros militares da reserva;
  • aumento da quantidade de horas extras para policiais, bombeiros e agentes penitenciários de 48 horas para 84 horas mensais;
  • pagamento em dinheiro para quem fornecer informações à polícia que resultem na prisão de criminosos ou evitem ataques;
  • criação do Fundo de Segurança Pública e Defesa Social
  • criação do Banco de informações sobre veículos desmontados;
  • regras de restrição ao uso do entorno dos presídios do estado para prevenir fugas e garantir mais segurança;
  • autorização de convênios e parceria com União e estados para acessão de policiais ao Ceará.

Deixe uma resposta