Os órgãos regulatórios aprovaram, provisoriamente, uma atualização de software que corrige ações do sistema automatizado do Boeing 737 Max 8. Esse modelo de avião já sofreu dois acidentes fatais, vitimando mais de 300 pessoas em menos de seis meses, o que acarretou na proibição da aeronave no Brasil, EUA, China e União Européia, seus principais mercados.

Quem aprovou essa atualização foi a Federal Aviation Administration (FAA) dos Estados Unidos, segundo informações do Wall Street Journal. Ainda segundo o artigo, a correção vai permitir aos pilotos exercer mais controle sobre o sistema automatizado do jato, evitando acidentes como o na Etiópia, que foi causado exatamente por um problema nesse sistema.

Imagem: Reprodução “Aviação Brasil”.
Foto: Portal Ponte Aérea via Assessoria de Imprensa GOL

O WSJ diz ainda que as atualizações de software irão reduzir o Sistema de Aumento de Características de Manobra (MCAS), redesenhando-o “para não sobrecarregar outros comandos da cabine ou falhas de ignição com base em leituras erradas de um único sensor”, e será ativado apenas uma vez e em curta duração no caso de haver um problema.

A FAA aprovou provisoriamente a atualização, mas ela precisa passar por simulações e testes de vôo. Se funcionar e for formalmente aprovado, a atualização poderá ser emitida nas próximas semanas e o modelo poderá voltar a ser utilizado pelas Companhias Aéreas.

No Brasil, apenas a GOL tem aeronaves Boeing 737 Max 8, sendo 7 no total, que fazem voos domésticos nacionais e internacionais. A companhia espera trocar toda a sua frota por esse modelo de aeronave e já tem outras encomendadas juntamente com a Boeing.

Deixe uma resposta