O presidente eleito, Jair Bolsonaro, chegou pouco antes das 10h desta terça-feira (6/11) ao Congresso Nacional para participar da sessão solene em comemoração aos 30 anos da Constituição. Enquanto o presidente eleito se deslocava para Brasília, o Congresso Nacional fazia os últimos preparativos.

Bolsonaro desembarcou na Base Aérea às 8h55, tendo vindo do Rio de Janeiro. O presidente eleito viajou acompanhado de aliados, entre os quais o advogado e correligionário Gustavo Bebianno. Um forte esquema de segurança opera o deslocamento de Bolsonaro desde a Base Aérea até o Congresso Nacional.

O voo atrasou cerca de 20 minutos em razão do tempo nublado. Em sua chegada, Bolsonaro e sua comitiva foram recebidos pelo general Augusto Heleno, quem também integrará o futuro governo.

O ato, que marca o retorno de Bolsonaro à Câmara desde que foi eleito presidente, funcionará como uma espécie de preparação para a cerimônia de posse em 1º de janeiro de 2019.

A previsão é que o presidente eleito almoce com o ministro da Defesa, Joaquim Silva Luna, na sede da pasta, na Esplanada dos Ministérios. Até a quarta-feira (7), Bolsonaro terá uma extensa agenda com autoridades dos Três Poderes.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), quem preside o Congresso Nacional, decidiu liberar o acesso de jornalistas ao plenário onde será realizada a sessão, com a presença de autoridades dos Três Poderes, inclusive os presidentes Michel Temer e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

Os últimos preparativos também foram feitos no gabinete de Bolsonaro na Câmara, para aonde o presidente eleito vai se dirigir em sua chegada ao Congresso.

Por volta das 5h30 desta terça-feira, o presidente eleito deixou a residência, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, rumo à Base Aérea do Galeão. No trajeto, um dos batedores se acidentou. A expectativa é de que o avião com a comitiva de Bolsonaro decolasse por volta das 7h.

A partir das 10h, ele estará ao lado das principais autoridades do país na atualidade, como o atual presidente da República, Michel Temer, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE).

Apesar dos convidados ilustres, Bolsonaro certamente será o mais cortejado. Políticos aliados e os que tentam se aproximar dele farão uma sessão de beija-mão do presidente eleito. Um extenso tapete vermelho foi instalado nos salões Verde (Câmara) e Azul (Senado). O cerimonial, com ares de posse presidencial, já está preparado pelas equipes técnicas do Congresso Nacional.

Deixe uma resposta