Ao chegar para um almoço no Ministério da Defesa, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou que ainda analisa nomes para completar sua equipe de governo, mas indicou a perspectiva de concluir a montagem da futura Esplanada dos Ministérios até o fim deste mês.

“Até o fim do mês a gente completa o ministério”, disse. “O que não podemos é anunciar alguém e depois dizer que mudou ou não é mais”, completou o presidente eleito.

Bolsonaro afirmou ainda que contará com a atuação do aliado e senador Magno Malta (PR-ES), candidato à reeleição derrotado, na composição do novo governo. “Não podemos prescindir do apoio dele na formação desse governo”, disse o presidente eleito. Bolsonaro, lembrando que o senador foi cotado para integrar a chapa presidencial que o elegeu.

O presidente eleito também destacou que os militares terão “lugar de destaque” em seu governo, inclusive com a garantia de recursos orçamentários sem contingenciamento. “Acho que nada mais justo, é um reconhecimento às Forças Armadas”, disse.

As declarações foram dadas em sua chegada ao Ministério da Defesa, o primeiro compromisso externo ao Congresso Nacional, em seu retorno a Brasília desde a vitória na eleição presidencial no fim de outubro.

 

Magno Malta já foi apontado como um provável integrante do primeiro escalão em um governo Bolsonaro, mas pesam contra o senador denúncias e desgastes no meio político, por ter figurado na linha de frente de apoiadores do governos Dilma Rousseff e Michel Temer.

Deixe uma resposta