Pernambucana, Brenda Lee Trans nasceu em 10 de janeiro de 1948 e foi morar em São Paulo aos 14 anos. Ativista dos direitos LGBTQIA+, Brenda, transsexual, ganhou visibilidade após comprar uma pensão, que nos mais tardar se transformaria na “Pensão Caetana“, onde acolheu diversos travestis e transexuais na época.

Brenda Lee Trans
Imagem: Reprodução Google

Nomeada de “Palácio das Princesas”, a pensão procurava destinar aos seus hóspedes travestis o mínimo de dignidade humana – algo que não era comum naquela época – e nem nos tempos de onde, onde há muito preconceito e intolerância às diferentes manifestações de gênero.

Devota de Nossa Senhora Aparecida, Brenda nunca escondeu sua religiosidade. Tamanho comprometimento com a religião, o grande gesto de humanidade que marcou a vida de Brenda Lee Trans, foi acolher as travestis da pensão após um surto de DST’s.

Ao invés de expulsá-las, Brenda procurou acolher, cuidar e atender e esse é o grande gesto que fez o Google lembrar do seu 71º aniversário.

Brenda Lee Trans e o mês da visibilidade trans

No mesmo dia em que o Google homenageia a Brenda Lee Trans, iniciou também sua campanha nas redes sociais para o mês da visibilidade trans, em Fevereiro.

Em suas mídias sociais, a gigante da tecnologia atualizou e publicou fotos sobre a importância de combater os crimes de homofobia e lutar pelo direito de igualdade.

Fonte: NLucon

Deixe uma resposta