Compositora, cantora, violonista e empresária de si. Babi Ceresa vai além de uma voz afinada. Dedicada e sonhadora, a brasiliense embarcou no universo musical do pop aos 11 anos, quando começou a praticar aulas de canto por incentivo dos pais.

Se apaixonou pelos vocais ainda pequena e passou a adolescência aprimorando a performance nos palcos. Hoje, com 25, ela afirma estar no auge da carreira, colhendo frutos da participação no The Voice e inspirada pela chegada da filha, Antonella.

Um dia antes de dar à luz, Babi recebeu a equipe do Metrópoles em casa para um bate-papo especial. Na conversa, ela falou sobre as expectativas para a maternidade, os planos profissionais para 2019 e o cunho feminista de suas composições.

“A gravidez não foi nada esperada”, diz, aos risos. “A notícia veio de supetão, mas foi muito bem recebida. Antonella já me motiva a ser uma pessoa melhor. Quero ser um exemplo para ela”, declara.

A artista revela que a gestação não a fez diminuir o ritmo, pelo contrário. “Estou mais inspirada do que nunca, produzindo e lançando canções. Assim que soube que estava à espera de um bebê, decidi que seria uma grávida ativa. O plano, aliás, é soltar uma música por mês até o fim do ano”, brinca.

Feminista convicta, Babi diz que se sentiu mais envolvida no movimento quando soube que seria mãe de menina. Uma das últimas melodias dela, inclusive, aborda a temática. “Acho importante falarmos sobre empoderamento feminino.”

“Para compor Menina, por exemplo, me baseei em diversas mulheres com a intenção de fortalecer a nossa luta diária. Também chamei influencers para estrelar o clipe da música, tornando-a mais girl power ainda”, relata.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por B A B I C E R E S A (@babiceresa) em

Reconhecida como uma das vozes empoderadas da capital, a cantora foi convidada a participar de uma ação no Dia das Mulheres, 8 de março, pelo projeto musical Sunflower Jam. “Ao lado de musicistas incríveis, fiz parte de uma homenagem emocionante. A ação foi bem reflexiva e lançou luz à problemática do machismo na indústria da música”, conta.

“Assim como em outros setores, se destacar no ramo musical sendo do sexo feminino é desafiador. O que incentiva são as divas disruptivas que chegaram no topo, como Madonna e Beyoncé”, valoriza.

Quando questionada sobre quais são suas maiores musas inspiradoras, ela cita Anitta e Ariana Grande. “Não posso esquecer da Ivete, que foi minha mentora no The Voice. Ouvir elogios dela ao longo da minha participação no reality me deu fôlego para seguir na carreira. Se tivesse que escolher uma só fonte de inspiração, seria ela”, pontua.

A pedido do portal, Babi resgatou suas músicas favoritas e montou uma playlist poderosa no Spotify. Entre os singles, estão Dona de Mim, de Iza; Velha e Louca, de Mallu Magalhães; e Wannabe, da saudosa girld band Spice Girls. Hits autorais, de Anitta, Ariana Grande e Ivete, é claro, também são garantidos. Aperte o play e empodere-se.

Deixe uma resposta