O ex-presidente do Peru Alan García morreu na manhã desta quarta-feira (17/04/19) após atirar contra a própria cabeça. O político atentou contra a própria vida após receber uma ordem de prisão preventiva emitida pela Justiça do país em decorrência do caso Odebrecht.

García estava em casa quando recebeu a visita de policiais com o pedido de prisão preventiva de 10 dias. Ele é um dos quatro ex-presidentes peruanos apontados em investigação do Ministério Público do país por receberem suborno da empresa brasileira Odebrecht durante campanha eleitoral em 2006, quando disputava o cargo de chefe de Estado pela segunda vez. Na ocasião, ele foi eleito com mais de 52% dos votos.

Também são suspeitos os ex-presidentes Alejandro Toledo, que governou entre 2001-2006; Ollanta Humala, de 2011 a 2016; e Pedro Pablo Kuczynski, de 2016 a 2018. Kuczynski é o único que foi preso até agora, no início deste mês.

A Odebrecht assinou um acordo de cooperação com o MP peruano, em fevereiro deste ano, com o objetivo de ajudar nas investigações. A construtora brasileira também se comprometeu a pagar uma compensação de US$ 182 milhões ao povo do Peru. Esse valor tem como base licitações vencidas pela Odebrecht por meio do pagamento de propinas.

Deixe uma resposta