Apesar do seu tradicional confronto político, China e Taiwan fecharam um acordo para cooperar em um satélite de detecção de ondas eletromagnéticas que possa prever terremotos. Detalhes do programa foram divulgados pelo jornal de Hong Kong South China Morning Post neste domingo. A previsão é que o lançamento do satélite ocorra em 2018.

Alguns terremotos geram anomalias eletromagnéticas antes de ocorrer. O objetivo do projeto é tentar detectar esses fenômenos para tentar prever quando uma catástrofe estiver a caminho e se preparar. Tremores fortes afetam com regularidade tanto a China quanto Taiwan. Em agosto deste ano, um terremoto de magnitude 6,5 na escala Richter atingiu o vale de Jiuzhaigou, na província chinesa de Sichuan, deixando mais de 100 mortos.

A cooperação entre Pequim e Taipé é um marco, mais ainda levando em conta a atual má relação política que se intensificou após a chegada ao poder da atual presidente taiuanesa, Tsai Ing-wen. A líder, eleita ano passado, é de um partido independentista, o que fez com que a China congelasse boa parte das suas relações com o território.

Terremoto

O anúncio do plano veio no mesmo dia em que um terremoto de 7,3 graus na escala Richter atingiu a fronteira entre o Irã e o Iraque, causando 400 mortes e deixando mais de 7.000 feridos. Apesar do grande poder destrutivo, especialistas afirmam que tremores como esse são difíceis de prever, pois é quase impossível estimar o momento exato em que toda a energia do terremoto será liberada com a tecnologia disponível atualmente.


Arquivado em:Ciência