Pela primeira vez, o encontro da Academia Europeia de Dermatologia e Venereologia (EADV), realizado em Paris, no início de fevereiro, apresentou estudos científicos que comprovam os benefícios da finasterida em creme no tratamento contra a queda de cabelo. O minoxidil, outro medicamento muito usado em casos de calvície, apresentou bons resultados na via oral em comparação ao uso de pomadas.

“Essas novas formulações [da finasterida e minoxidil] têm menos efeitos colaterais para os pacientes e melhores resultados”, afirma o dermatologista Ricardo Fenelon, de Brasília, que acompanhou o EADV 2019, em Paris, na primeira semana de fevereiro. Em alguns casos, o tratamento pode estar associado ao uso de laser para acelerar as mitoses celulares, estimulando as células tronco e apresentando efeitos anti inflamatórios que ajudam no crescimento dos fios.

Outro avanço importante apresentado no encontro internacional está na área do tratamento de cicatrizes. “Ao realizar uma cirurgia plástica, quanto mais cedo você agir na cicatrização, melhor. Foi muito promissor ver os trabalhos científicos que conseguiram ótimos resultados usando o laser Pulsed Dye para moderar a inflamação e evitar o desenvolvimento do machucado”, explica.

O laser age nos vasos e modela a vascularização, evitando a formação de queloides, por exemplo. Em alguns casos, é possível usar uma interação com laser fracionado. O método funciona não só para cicatriz cirúrgica, mas também naquelas desenvolvidas por queimaduras. “Esse laser já existe no Brasil e é muito usado para tratar rosácea, microvasos na face e estrias recentes”, explica.

Deixe uma resposta