O Distrito Federal registrou, este ano, uma média de quase dois estupros por dia. Os dados, divulgados pela Secretaria de Segurança Pública e Paz Social, mostram que foram 617 casos de janeiro a novembro deste ano, contra 685 no mesmo período de 2017.

Somente em novembro, foram registrados 41 casos, a maioria, ou 28, de crianças e adolescentes. No mesmo mês do ano passado, as delegacias computaram 59 estupros. Um dos casos mais chocantes no Distrito Federal ocorreu em outubro deste ano. Um homem de 28 anos foi preso no dia 3 de outubro suspeito de estuprar três mulheres no Setor de Oficinas Norte (SOFN). As vítimas estavam conversando em um bar, por volta das 21h30, quando ele invadiu o imóvel e anunciou o assalto, armado com um facão.

Reprodução/SSP

Por cerca de 40 minutos, o homem manteve relação sexual com uma, abusou da outra, e a terceira, grávida de quatro meses, foi obrigada a masturbá-lo. Após os momentos de terror, elas conseguiram fugir do tarado e pedir socorro aos vizinhos. O homem quase foi linchado até a chegada da Polícia Militar.

Em choque, as mulheres contaram aos policiais que o homem era “muito cruel” e ameaçava matá-las, pois já tinha cometido dois assassinatos no Ceará, de onde tinha vindo. Uma das vítimas chegou a ficar ferida pelo facão. As vítimas também precisaram de atendimento médico e receberam tratamento profilático em função da violência sexual.

Em outro caso, um homem de 25 anos foi preso, no dia 28 de novembro, acusado de estuprar um menino de 11. A PM o levou para a 24ª Delegacia de Polícia (Setor O, Ceilândia). Os militares chegaram ao suspeito após serem acionados por moradores do Parque Veredinha (Brazlândia). Eles denunciaram o abuso. Após ser encontrada, a criança contou que estava perto de sua residência quando foi abordada por um homem, que o convidou para jogar em uma lan house.

O menino aceitou o convite e foi com o acusado até o estabelecimento. Quando falou que precisava ir embora para a casa da avó, o rapaz se ofereceu para levá-lo de bicicleta. Conforme o relato do menino, o acusado desviou o trajeto da volta, levando-o para um matagal. Lá, o homem teria acariciado suas partes íntimas e praticado sexo oral nele.

Os policiais pegaram as filmagens de câmera da lan house e identificaram o suspeito, que foi preso em sua residência. O homem foi reconhecido pela vítima e pelo dono do estabelecimento. Depois, autuado em flagrante, por estupro de vulnerável.

Além dos dados referentes ao mês de novembro e ao ano, o governo anunciou o balanço da criminalidade durante o governo Rodrigo Rollemberg (PSB), que chegará ao fim em dezembro. O chefe do Executivo estava presente na coletiva de imprensa e ressaltou que, a partir de agora, os registros de feminicídio estão sendo estudados “com profundidade” pela SSP. Porém, nenhuma informação sobre os 73 casos registrados desde 2015 foi repassada.

“Os indicadores falam por si só. De 2015 a 2018, comparado com 2011 a 2014, temos redução de 416 mortes no trânsito e 803 homicídios a menos do que no governo passado”, comemorou Rodrigo Rollemberg.

Mortes no trânsito aumentam
Porém, segundo o Departamento de Trânsito (Detran), aumentou o número de mortes no trânsito este ano. O total passou de 238 para 259, ou 9% a mais, entre janeiro e novembro de 2017 e o mesmo período do ano passado. Em novembro, houve redução — de 17 para 13. De acordo com o órgão, 2017 foi o menor número da série histórica.

Confira outros dados divulgados referentes a novembro de 2018 e novembro de 2017:

Homicídio — foram 33 casos em novembro de 2018 contra 46 em novembro de 2017
Roubo em comércio — 158, em novembro deste ano, e 156, no mesmo período do ano passado
Latrocínio — 2 casos registrados em novembro de 2018 e o mesmo número em novembro de 2017
Lesão corporal seguida de morte — foram oito no acumulado do ano e cinco, no mesmo período de 2017

 

Deixe uma resposta