O CANAL – No O Canal você confere tudo sobre audiência da TV, famosos, resumos de novelas, música, cinema & séries e notícias da TV.

Ação dos policiais impediu um número ainda maior de vítimas no massacre em Suzano. (Foto: reprodução)

O Encontro com Fátima Bernardes desta sexta-feira (15) recebeu os primeiros policiais militares que entraram na escola Raul Brasil, em Suzano, após os tiros disparados contra os alunos e funcionários da instituição. Ontem, no dia seguinte ao massacre, o programa já havia abordado o assunto, assim como relembrou também o primeiro ano da execução da vereadora Marielle Franco.

Um dos PMs relatou ter se deparado com os primeiros corpos tão logo entrou no prédio. Diante do cenário inesperado, a equipe retornou até a viatura para poder avançar se protegendo com os escudos balísticos.

Segundo o relato, quando perceberam a presença das forças de segurança, os criminosos nem mesmo confrontaram. O atirador menor de idade logo assassinou o comparsa e depois se suicidou. A equipe, contudo, falou que ainda averiguou toda a escola no momento temendo a presença de um terceiro bandido. Eles contaram ainda que estudantes salvos fizeram agradecimentos desde esse primeiro momento, ainda sob a tensão da incerteza.

Os policiais foram efusivamente aplaudidos pela plateia. Os elogios se estenderam também ao auditório virtual das redes sociais.

Massacre em Suzano

Nesta quarta-feira (13), o Brasil se viu diante de um dos mais brutais ataques cometidos por atiradores em sua história. A escola estadual Raul Brasil, localizada em Suzano, foi o palco final de uma carnificina promovida pelos amigos Guilherme Taucci Monteiro (17) e Luiz Henrique de Castro (25), ambos ex-alunos do colégio.

No início da manhã, Guilherme publicou diversas imagens em seu perfil no Facebook. Ele aparece fazendo obscenidades, mascarado e até mesmo com um revólver. As fotos foram deixadas sem nenhuma mensagem complementar. Depois da publicação, ele foi até uma loja de veículos de propriedade do seu tio e disparou contra o familiar, que morreria horas depois no hospital. Era a primeira das vítimas de um dos dias mais sangrentos do pacato município de pouco mais de 150 mil habitantes.

Em um carro alugado dias antes, os assassinos chegaram na escola, que ficava próxima ao local dos primeiros disparos, às 9h43. Guilherme entrou na escola, sucedido por Luiz Henrique. O menor, sempre portando a arma de fogo, disparou inicialmente em duas funcionárias da instituição.

Ele depois perseguiu estudantes no pátio e na sala de idiomas. O comparsa tentava atrapalhar quem fugia desesperado fazendo uso de armas brancas. Ele acabaria também sendo morto pelo cúmplice, que depois se suicidou. No total, 5 alunos foram vitimados fatalmente. As investigações ainda não apontaram uma motivação clara para o massacre, que dominou as atenções da TV assim que foi informado.

O post Encontro com Fátima Bernardes recebe policiais militares que entraram primeiro na escola em Suzano apareceu primeiro em O CANAL.

Deixe uma resposta