Todo mundo sabe do protagonismo do PowerPoint durante as investigações e apresentações de denúncias de desdobramentos na operação Lava-Jato. O que muita gente não sabe, é que esse mesmo recurso também está sendo usado para a defesa da Huawei em processo da justiça americana, em que o CFO, Meng Wanzhou, está enfrentando extradição para os EUA por supostamente fraudar instituições bancárias, segundo o The Star Vancouver.

Desta vez, o programa do pacote Office – considerado um dos mais famosos da Microsoft – é alvo da defesa do executivo devido a uma apresentação de 2013, que foi usada no trâmite do processo. No documento, o advogado de ambas as partes, David Martin, mostrou a apresentação em PowerPoint, em que Meng explicava a um banco em Hong Kong que a Huawei não havia violado nenhuma sanção dos EUA.

O protagonismo do PowerPoint na Justiça

Voltando ao Brasil, especificamente na operação Lava-Jato, o PowerPoint foi utilizando, inclusive, para apresentar relações do suposto esquema de corrupção envolvendo o ex-presidente Lula aos políticos e pessoas listadas no documento. A apresentação foi feita em coletiva por um dos procuradores responsável pela operação.

O PowerPoint é muito utilizado para a apresentação de projetos estudantis, empresariais e palestras em todo o mundo. Mais popular do que ele, somente o seu irmão especializado em textos e documentos, o Word.

Esse tipo de envolvimento do Office em investigações judiciais é muito comum, uma vez que os grandes esquemas sempre utilizam esse tipo de programa para se organizar, enquanto a defesa, por sua vez, costuma apresentar as relações em PowerPoint.

No processo que envolve a Huawei, o programa entra novamente como protagonista sendo o principal artefato da defesa da companhia e do executivo citado.

Fonte: The Verge

Deixe uma resposta