O general da reserva Guilherme Theophilo, escolhido pelo futuro ministro da Justiça Sérgio Moro para chefiar a Secretaria Nacional de Segurança Pública, afirmou que uma de suas prioridades no cargo será identificar “gente do colarinho branco” envolvida no tráfico de drogas. As informações foram dadas em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

Guilherme Theophilo foi candidato pelo PSDB ao governo do Ceará e foi derrotado na última eleição pelo governador do estado, Camilo Santana (PT), que foi reeleito com quase 80% dos votos válidos.

Na entrevista, Theophilo declarou que o mercado de entorpecentes conta atualmente com a atuação de políticos, juízes e até de militares. “Nós temos de pegar quem está usando o crime organizado para se eleger”, disse.

O general da reserva também se declarou contra a intervenção federal do Rio de Janeiro. Segundo ele, na próxima semana ele se reunirá com o General Braga Netto para discutir a desmobilização do efetivo militar. “Acredito que no dia 31 de dezembro esse processo termine. E, no dia 1º de janeiro, seja entregue a chave aos órgãos de segurança pública”, afirmou.

Deixe uma resposta