Vitória Antunes parou as redes sociais ao revelar o assédio sofrido durante um voo da Avianca. Viajando de Belo Horizonte para São Paulo, no domingo (11), a jovem notou que o passageiro ao seu lado se masturbava por cima da calça. Ultrajada, ela gravou a ação do homem e o confrontou.

Em uma série de Stories em seu Instagram, Vitória conta o ocorrido. Ao pedir ajuda à equipe de comissários de bordo, o máximo oferecido foi para ela trocar de lugar. Quando o avião pousou, a jovem relatou que o homem se escondeu no banheiro e o descaso da empresa continuou.

O relato ganhou as redes sociais, atingindo mais de mil compartilhamentos no Facebook. Os Stories no Instagram incentivaram as pessoas a repostarem o que aconteceu e cobrarem respostas da Avianca.

Mesmo com o comunicado de imprensa, o público ainda não está satisfeito. Para que o caso de Vitória não fique impune e o assédio pare de ser norma, usuários do Instagram estão pedindo mudança com a hashtag #chegadeassédio.

Postagens novas e antigas da Avianca estão lotadas com a tag e mensagens de repúdio. A #MexeuComUmaMexeuComTodas também está aparecendo com frequência nos comentários.

A empresa respondeu aos questionamentos da reportagem com o seguinte posicionamento:

“A Avianca Brasil esclarece, em relação à ocorrência no voo 6145 CNF-GRU, que assim que contatados pela passageira, os comissários tomaram as medidas para que o passageiro trocasse de lugar a fim de garantir a segurança de todos a bordo. O voo se dirigiu ao aeroporto mais próximo, que, neste caso, era a base de Guarulhos. Após a aterrisagem, o comandante instruiu a passageira a procurar imediatamente a Polícia Federal do aeroporto. Por fim, a empresa reitera que repudia veementemente todo tipo de comportamento inadequado de qualquer indivíduo que voe com a companhia.”