O mais grave acidente com material radioativo já registrado pela Agência Internacional de Energia Atômica fora de uma usina nuclear completou 30 anos em 2017 e é tema do livro Sobreviventes do Césio-137. A publicação, assinada pelos jornalistas goianos Yago Sales e Carla Lacerda, atualiza o episódio com novos depoimentos daqueles que sobreviveram à exposição à radiação dos 19 gramas de Césio-137 encontrados dentro de uma cápsula nas ruínas do Instituto Goiano de Radioterapia.

Esta é a segunda edição do livro. Na primeira versão, lançada em 2007, a história rendeu à escritora uma menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog, organizado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo.

Nas inúmeras reportagens realizadas na época, nenhum jornalista contestou aqueles dados oficiais, que acabaram sendo amplamente difundidos. Meses depois, enquanto realizava checagens para o fechamento do conteúdo da segunda edição do livro, Carla Lacerda se deparou com inconsistências do relatório elaborado pelo governo de Goiás, que ameniza danos do maior desastre radiológico urbano já ocorrido.

“O livro levanta esta denúncia em manifesto contra o apagamento desta história que se iniciou em 1987 e ainda não acabou”, comenta a jornalista. A segunda edição conta com a contribuição de Yago Sales na atualização de narrativas.

Histórico
Em 1987, mais de 100 pessoas morreram contaminadas e outras 1,5 mil foram afetadas pelo material radioativo Césio-137 em Goiânia. Um aparelho radiológico com cápsula do metal foi encontrado em 13 de setembro por catadores em um terreno abandonado do Instituto Goiano de Radioterapia. Nesse contato, eles tiveram náuseas e vômitos, que foram primeiro relacionados à alimentação.

Alguns dias depois, o aparelho foi vendido para um dono de ferro-velho, que abriu a cápsula. Encantado pela luz azul emitida no escuro pela substância tóxica, ele a mostrou a parentes e amigos, contaminando-os. Em 23 de outubro, morreram as primeiras pessoas vítimas da radiação.

O governo de Goiás foi duramente criticado pela demora em tomar ações e pela maneira com que a limpeza das áreas afetadas foi realizada.

O lançamento oficial do livro está marcado para quinta-feira (9/8), às 19 horas, no Coruja Café (Rua T-37, esquina com Rua T-12, Connect Park Business, Setor Bueno). Preço: R$ 40

Deixe uma resposta