A sustentabilidade na construção civil é um caminho sem volta. Neste contexto, surgiram as certificações, que mudaram a forma como os edifícios são planejados, construídos e operados. Um dos “selos” mais importantes para a construção de green buildings – edifícios verdes – é o LEED (Leadership in Energy and Environmental Design).

A filosofia para um projeto green building é que ele seja mais eficiente em relação ao consumo de recursos, impacto ao meio ambiente e na qualidade de vida para o seu usuário, do que o padrão médio dos projetos semelhantes a ele.

Os projetos que buscam a certificação passam por um processo de análises rigorosas. Todas possuem pré-requisitos (práticas obrigatórias) e créditos (recomendações) que, à medida que são atendidos, garantem pontos à edificação. O nível da certificação é definido conforme a pontuação alcançada, podendo variar de 40 pontos a 110 pontos. Os níveis são: Certificado, Silver, Gold e Platinum.

A plataforma é um padrão internacional que já foi implementada em mais de 160 países e também é uma tendência no Brasil.  A Thá Engenharia já executou obras com esta metodologia. Entre eles está o Landmark Batel, um edifício corporativo da Partilha Empreendimentos e entregue no mês de maio, em Curitiba. O empreendimento alcançou 88 pontos no nível Platinum – o mais alto selo dentro da certificação LEED. A pontuação é a maior conquistada até hoje no sul do Brasil e, em todo o país, está entre as três maiores pontuações na certificação LEED no país.

Para alcança-lo, a edificação apresenta soluções de sustentabilidade como, por exemplo, um telhado verde em toda extensão da laje de cobertura. O vidro da fachada é de última geração. O low-e (do inglês, low emissivity), permite a passagem da luz natural, mas não do calor, e barra as radiações UV/UF.

Outro ponto é o projeto hidrossanitário do edifício, que foi concebido a partir de conceitos de sustentabilidade, priorizando o uso racional das águas. Para atingir esse objetivo e com base na grande área de captação do telhado verde instalado na cobertura, foi utilizado um reservatório de águas pluviais maior do que o previsto pela legislação municipal, que prevê o tratamento da água captada. Além disso, o edifício conta com sistema de tratamento do esgoto cinza gerado nos lavatórios de banheiros e tanques, que somado à água pluvial tratada, permite a reutilização da água para usos não nobres, como vasos sanitários, irrigação e lavagem de pisos. O sistema hidráulico como um todo permite obter grande eficiência no reuso das águas, atendendo grande parte da demanda e diminuindo a necessidade por água potável na edificação, além de contribuir, em conjunto com os reservatórios de contenção de cheias previstos, para redução das vazões pluviais destinadas à rede pública.

Para Sergio Padilha, diretor da Partilha Empreendimentos, o engajamento e integração de toda a equipe da Thá Engenharia – desde os executivos até os mestres de obra – e a qualidade dos processos construtivos apresentados durante a execução do Landmark Batel superaram as expectativas. “Notamos o profissionalismo e a integração de toda a equipe, que mostrou muita responsabilidade para concluir uma obra deste padrão. Acreditamos que a Thá foi a melhor escolha para a realização do projeto e temos confiança e segurança para contratá-la novamente.”

A Thá já entregou mais de uma dezena de obras certificadas com selo verde, entre elas a primeira certificação Silver do sul do país e a primeira certificação Gold do Paraná.

 

Foto: Landmark Batel.

Crédito: Divulgação.

Deixe uma resposta