Poltrona Nerd ~

Com o lançamento de Capitã Marvel nos cinemas e sua ascensão em Vingadores: Ultimato, muitos fãs do MCU estão descobrindo a personagem pela primeira vez. Alguns não conhecem sua origem e nem sua importância no universo Vingadores.

Aproveitando a popularidade da heroína, a editora Panini lançou em março Capitã Marvel: Mais Alto, Mais Longe, Mais Rápido e Mais, volume que reúne as edições de 1 a 6 de Captain Marvel (2014), com roteiro de Kelly Sue DeConnick, arte de David López e cores de Lee Loughridge.

A HQ apresenta Carol Danvers sendo uma Vingadora e exímia pilota do planeta Terra. A pedido de Tony Stark, Danvers decide investigar o sumiço de um grupo de refugiados na região do mundo Anelar. No espaço, ela conta com a ajuda inicial dos Guardiões da Galáxia e percebe que está diante de uma situação mais complexa do que esperava.

As seis histórias intercalam momentos do passado e presente da heroína como o romance com Jim Rhodes, que ficou subentendido que poderá existir no MCU durante um pequeno diálogo no início de Vingadores: Ultimato.

A narrativa é leve e divertida, mas reserva espaço para momentos mais sérios como as crises políticas. Danvers começa a perceber que no espaço e na Terra a política não muda. Os poderosos motivam suas decisões baseadas em interesses e buscam tomar vantagem das classes mais baixas. Interessante notar a impaciência de Danvers quando precisa lidar com o mesmo tipo de autoritarismo e líderes fascistas, algo comum no seu planeta.

Carol Danvers se sente obrigada a permanecer no espaço. Há muitos problemas que só ela é capaz de lidar, diferente da Terra que tem os Vingadores. Também é no espaço onde ela se sente a vontade para inclusive utilizar seus poderes com mais liberdade. Vingadores: Ultimato faz uma pequena interseção com a HQ, quando a heroína explica que no espaço tem muito mais terreno para explorar, tornando ela ausente na Terra.

Em relação ao filme solo, alguns diálogos foram utilizados e sequências de ação no espaço. Contudo, o filme lançado em março pouco soube explorar o potencial da heroína como os irmão Russo conseguiram mesmo com as poucas cenas dela em Ultimato.

Ao final, Capitã Marvel:  Mais Alto, Mais Longe, Mais Rápido e Mais aponta a importância de uma heroína sem sexualiza-la, abrindo espaço para mais diversidade e representatividade no mundo da cultura pop.

The post Ler é Bom, Vai! Capitã Marvel: Mais Alto, Mais Longe, Mais Rápido e Mais appeared first on Poltrona Nerd.

Deixe uma resposta