Mesmo após ter o recurso para a instalação da réplica da Estátua da Liberdade na loja inaugurada em Brasília negado pelo GDF, a Havan insiste na colocação do monumento às margens da Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia). Nessa sexta-feira (9/11), a empresa entrou com pedido de reconsideração na Administração do Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA).

Conforme revelado pelo Metrópoles, a instalação da estátua de 35 metros foi vetada pelo órgão porque ultrapassa o limite de 12 metros estabelecido pelo Decreto nº 29.413/2008. O documento dispõe sobre o Plano Diretor de Publicidade nas regiões administrativas do DF.

 

Após negar o primeiro pedido da Havan, a Administração Regional do SIA consultou o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que concordou com a decisão. O lote da loja, no trecho 14 do SIA, não faz parte do Conjunto Urbanístico de Brasília, mas pertence à área do Entorno, motivo pelo qual houve posicionamento da autarquia federal.

O administrador do SIA, Antônio Donizete Andrade, disse que não havia legislação possível para aceitar o pedido da empresa, por isso o recurso foi negado. “A gente ajuda o empresário, mas dentro da legalidade”, afirmou.

A loja foi inaugurada às 10h da manhã do dia 3 de outubro, sem a estátua. O monumento, que foi coberto por uma lona na abertura, está “deitado” no estacionamento da unidade desde 27 de outubro.

Na ocasião, o diretor de expansão da marca, Nilton Hang, afirmou que se o pedido fosse negado definitivamente a empresa poderia colocar a estátua em outra loja. “A gente tira e coloca em outra cidade. Temos várias lojas que funcionam sem estátua”, disse ao Metrópoles.

Deixe uma resposta