São grandes as chances de você conhecer Hey Jude, dos Beatles, e nunca ter ouvido falar em What Do You Mean, do Justin Bieber. Esses dois sucessos, com quase 50 anos de diferença, têm uma coisa em comum: foram número 1 no famoso ranking semanal Hot 100 da revista de música Billboard (em 1968 e 2015, respectivamente). E, quem diria, um estudo feito pela Universidade de Nova York (NYU) mostrou que, se fossem questionados, provavelmente os millenials reconheceriam mais a música do quarteto inglês que a do cantor canadense.

Surpreso? Ok, a pesquisa não colocou exatamente essas duas músicas uma contra a outra. Mas, segundo o artigo (publicado no periódico científico PLOS ONE), as músicas de sucesso das décadas de 1960 a 1990 são mais marcantes que as dos anos 2000 a 2015. Pelo menos para as pessoas nascidas entre o final de 1980 e 2000 – chamadas de Geração Y ou millennials. Daí porque elas acabam reconhecendo mais os sucessos dessas décadas que os atuais.

Para o estudo, os pesquisadores selecionaram 152 músicas que alcançaram o primeiro lugar da Billboard entre os anos de 1940 e 2015. Os 643 voluntários incluíam estudantes da NYU, bem como outros da área metropolitana de Nova York. A amostra foi em grande parte de jovens, com idades entre 18 e 25 anos.

Cada participante recebeu uma seleção aleatória de sete músicas e precisava relatar quais delas reconheciam. Os participantes ouviram trechos de 5, 10 e 15 segundos considerados representativos de cada uma. As partes selecionadas geralmente continham um lick altamente reconhecível – ou seja, um padrão único e muitas vezes repetido de notas tocadas por um instrumento específico. A partir das respostas, os pesquisadores então traçaram a proporção de reconhecimento para cada música de acordo com o ano em que alcançou o pico de popularidade.

Os resultados revelaram três fases distintas na memória coletiva. A primeira mostrou uma queda linear acentuada no reconhecimento das músicas deste milênio, caindo, ano a ano, de 2015 a 2000; a segunda fase foi marcada por um patamar estável entre os anos 1960 e 1990, sem declínio notável durante esse período de 40 anos; e a terceira, semelhante à primeira, caracterizou-se por uma queda mais gradual durante as décadas de 1940 e 1950. 

Os pesquisadores não identificaram exatamente o que explicou o nível estável de reconhecimento de músicas dos anos 1960 até 1990, mas eles observaram que, durante esse período, houve uma diversidade significativamente maior de músicas alcançando o topo das paradas da Billboard em comparação a 2000 a 2015 e 1940 até 1950. Segundo os autores, o grande número de canções muito marcantes – desde artistas de sucesso duradouro como Bon Jovi até grandes hits como “More Than Words“, da banda Extreme – pode explicar por que elas são tão memoráveis entre os jovens.

Deixe uma resposta