Se você tem uma Volkswagen Kombi fabricada entre 1968 e 1975, a chamada “corujinha”, então você tem uma aplicação financeira de alto rendimento nas mãos. Segundo um estudo da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV EAESP), os carros antigos com mais de 30 anos de fabricação, renderam muito mais que os investimentos financeiros considerados mais rentáveis do mercado, incluindo tesouro direto, CDB e poupança.

Os valores desses carros antigos clássicos que há muitas décadas deixaram as linhas de montagem no Brasil ou fora dele, tiveram alta nos últimos 10 anos bem superior à Selic, a taxa básica de juros, chegando a mais que o dobro desta.

Em relação à famosa Kombi corujinha, teve uma valorização de 135% acima da Selic do período. Com a pesquisa de 24 carros antigos no mercado, entre os anos de 2005/2006 a 2015/2016, a FGV EAESP verificou até mesmo desvalorização abaixo da Selic entre os clássicos pesquisados, nesse caso, o Ford Mustang Hard Top, que ficou 32,5% abaixo. Poupança, CDI, IGP-M e Selic foram utilizados na metodologia da pesquisa.

Mais do que itens de colecionadores apaixonados, automóveis antigos podem valorizar mais do que muitas aplicações financeiras por aí. Nos últimos dez anos, veículos com mais de 30 anos trouxeram retorno maior – até mais que o dobro – que a variação da taxa básica de juros, a Selic, que baliza investimentos conservadores como poupança, CDB e Tesouro Direto.

A conclusão é de um estudo da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP), que analisou 24 modelos entre os anos 2005/2006 e 2015/2016. Em média, os veículos analisados valorizaram 23,9% acima da variação da Selic em dez anos.

A Kombi Corujinha, liderou o ranking da pesquisa, com valorização de 135% acima da taxa básica de juros, enquanto o Mustang Hard Top desvalorizou 32,5% abaixo da Selic no período e ficou em último lugar.

“Assim como o mercado financeiro, você não ganha dinheiro com todos os produtos. Se for investir em carros antigos, é melhor apostar nos carros clássicos, que mais se valorizam”, explica o pesquisador Luís Henrique Rigato, coordenador do curso Master in Business and Management (pós-graduação em Administração) da FGV EAESP e um dos autores da pesquisa.

A seguir, confira os sete carros que mais valorizaram acima da Selic nos últimos dez anos, segundo o estudo da FGV:

1. Kombi Corujinha, anos 1968 a 1975 

Valorização acima da Selic: 135%

Foto reprodução

(Volkswagen/Divulgação)

2. Dodge Charger, anos 1973 a 1975

Valorização acima da Selic: 125,9%

Foto reprodução

(Renzo Maia/Wikimedia Commons)

3.  Dodge Dart com duas portas, anos 1970 a 1973

Valorização acima da Selic: 117,7%

Foto reprodução

(IFCAR/Wikimedia Commons)

4. Camaro Coup, anos 1967 a 1969

Valorização acima da Selic: 116%

Foto reprodução

(GTHO/Wikimedia Commons)

5. Maverick GT V8, anos 1973 a 1976

Valorização acima da Selic: 75,5%

Foto reprodução

(Luís Henrique Rigato/Divulgação)

6 – Ford Galaxie – De 1967 a 1969, o luxuoso sedã ficou 55,9% acima da Selic.

Foto reprodução

7 – Chevrolet Opala Diplomata 4.1 – De 1981 a 1986, este sedã topo de linha da GMB ficou 53% mais valorizado.

Foto reprodução

O post Mina de ouro: Os 7 carros antigos que mais valorizaram em 10 anos apareceu primeiro em Mundo Fixa.

Deixe uma resposta