O Ministério Público pediu a prisão do pastor Paulo Giovani Moraes, acusado de abusar sexualmente de adolescentes na Segunda Igreja Batista em Vieira fazenda, na Favela do Jacarezinho, no Jacaré, na Zona Norte do Rio. Segundo relatos, os estupros aconteciam até mesmo dentro da instituição.

Segundo a GloboNews, na denúncia do MP consta a história de um adolescente cuja família frequentava a igreja. O pastou teria abusado o jovem entre 2015 e 2018, o constrangendo a fazer sexo com ele “de forma consciente e voluntária”. A mãe do rapaz notou um comportamento estranho no filho e instalou um aplicativo no celular dele, para monitorar as conversas que ele tinha com o líder religioso.

A família procurou a polícia em novembro de 2018: o pastor admitiu ser “ex-homossexual” e que teria trocado carícias com o adolescente. No depoimento, ele disse que foi “seduzido pela vítima”. Quando a história chegou à comunidade da igreja, outros dois adolescentes denunciaram Moraes.

O pastor é recorrente: em 2010, ele foi preso em flagrante no Leblon acusado de abusar um adolescente, mas foi absolvido. Agora, os promotores pedem a condenação do acusado.

Deixe uma resposta