A permanência na prisão do presidente do PR, Antônio Carlos Rodrigues, está deixando parlamentares da legenda nervosos. Não sabem quanto tempo ele aguentará ficar nessa condição até tentar um acordo de delação premiada. Rodrigues, que se entregou à Polícia Federal no dia 28 de novembro após ficar uma semana foragido, imaginou que deixaria a prisão rapidamente. Na terça-feira (5), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negou um pedido de habeas corpus de seus advogados. Também foi protocolado um pedido de habeas corpus para ser julgado no Tribunal Superior Eleitoral, mas não há previsão de ser julgado.

Rodrigues está preso no presídio de Benfica, no Rio de Janeiro. É acusado de cometer crime eleitoral nas eleições de 2014.

>> Presidente do PR preso manteve 11 telefonemas com lobista da JBS