Durante a madrugada deste sábado (16/3), o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Rio de Janeiro, Washington Quaquá, acabou se envolvendo em briga numa praça pública de Maricá, região metropolitana da capital fluminense. Segundo testemunhas, um homem vestindo uma camisa estampando uma suástica estava provocando os transeuntes, quando o petista interveio.

“Ele estava provocando todo mundo: jovens, negros, LGBTs. Eu disse que aquilo era crime, e que se ele não tirasse aquela camiseta, eu o tiraria dali”, contou Quaquá ao Metrópoles. O homem, então, teria dito que era nazista mesmo e ainda teria xingado o petista, que o agrediu com uma cadeira de um bar.

Veja vídeo da briga:

 

Após a confusão, Quaquá contou que o homem entrou no estabelecimento, tirou a camisa e se escondeu com medo das reações das pessoas. O petista conta que reuniu alguns amigos e escoltou o homem até o carro dele, para evitar mais tumulto.

“Estávamos em frente à Casa de Cultura, um lugar emblemático e democrático da cidade. Não é lugar para nazistas. E provocar em uma semana em que jovens são assassinados em São Paulo… Não dá para tolerar defensores do nazismo circulando livremente, atacando a democracia”, afirmou.

Twitter/Reprodução

Imagem do homem que teria provocado transeuntes na rua em Maricá (RJ)

Deixe uma resposta