A primeira-dama da Síria, Asma al-Assad, descobriu um câncer de mama em estágio inicial e começou um tratamento “preliminar” em um hospital militar de Damasco, anunciou a Presidência síria nas redes sociais nesta quarta-feira (8).

“Com força, confiança e fé, a senhora Asma al Assad começa a etapa inicial do tratamento contra o tumor maligno no peito e que foi descoberto em fase inicial”, afirmou a Presidência por meio do Twitter.

Nascida no Reino Unido, Asma, de 43 anos, tem três filhos com Bashar Assad, com quem se casou em 2000. Formada em Ciência da Computação, ela  havia seguido carreira em bancos de investimento antes de casar-se com o líder sírio.

Chamada de “Rosa do Deserto” pela revista americana Vogue, Asma Assad tem sido duramente criticada por seu silêncio diante da sangrenta repressão às manifestações pró-democracia, em 2011, e pelo consequente conflito na Síria. Ela raramente aparece em público. Em uma dessas aparições, há dois anos, ela recebeu feridos de guerra e órfãos.

Em várias ocasiões desde o começo da guerra surgiram rumores de que teria deixado o país por razões de segurança e de que teria deixado marido porque se opunha à violência do governo de Assad a seus opositores. Nenhum desses boatos foi confirmado.

Em foto postada no Facebook, Twitter e Instagram pela Presidência, Asma aparece tomando medicação intravenosa em um quarto de hospital, sentada perto de Assad.

(Com EFE e AFP)

Deixe uma resposta