Uma das propostas do atual governo democraticamente eleito (para meu eterno divertimento, já que um sujeito que tinha 8 segundos de TV conseguiu ser eleito graças a um monte de imbecis que o divulgaram de graça) é alterar o estatuto do desarmamento (Lei 10.826/03) para flexibilizar possuir e portar uma arma (ou seja, manda o estatuto do desarmamento pra vala). Eu acho que brasileiro é psicopata por natureza e se por causa de um sujeito com a camisa do time errada já dá muito ruim, imagina pessoal podendo andar armado, seja com um fuzil, um liquidificador ou mesmo um guarda-chuvas. entretanto, eu moro no Rio de Janeiro e… bem, é isso, eu moro no Rio de Janeiro. Isso já deve ser sinal de algo. Eu acho que pelo menos, as pessoas poderiam possuir armas não-letais, como spray de pimenta, taser (aquela maquinha que faz BZZZZZZZT e te dá um chocão) e aquele bastão retrátil que aparece em filme.

Achou uma boa ideia também? SEUS PROBLEMAS ACABARAM! Um projeto-de-lei propõe que seja permitida a compra desse tipo de armamentos não-letais. Como? Você é um homem? SEUS PROBLEMAS COMEÇARAM!

A PL 632/19 proposta pelo deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) – que você poderá baixar DAQUI – prevê que mulheres possam adquirir spray de pimenta e tasers. Sim, isso mesmo! Só mulheres. Não tem PPK, nada feito! Segundo o texto, o porte dos equipamentos é destinado somente a maiores de 18 anos, para “proteção pessoal”, mas o ponto que eu quero abordar é que eu vejo uns probleminhas com essa lei.

Já começa que eu acho que temos um certo probleminha com essa lei já no tocante de sua essência, já que a Constituição diz que todos são iguais perante a Lei. Acho que dificilmente isso será aprovado sem emenda ou retalho. Se for passar, será extensivo a todas as pessoas, mas eu penso que não vai, de qualquer forma.

Acho engraçado, entretanto, o pensamento que mulheres são maiores vítimas que homens, mas não é bem assim. Dos 55.900 homicídios dolosos no país, 4.539 eram mulheres. Vão alegar feminicídio, mas estão detonando com essa estatística, praticamente classificando quase tudo como feminicídio, o que é um absurdo ter pena diferenciada, posicionando que uns tem mais direitos que outros, fazendo dessa lei inconstitucional. Indo por este caminho, sim, a liberação de porte de armas não-letais por mulheres, e apenas mulheres, poderia passar. Eu pegando ônibus? Bem, eu não faço parte da população que é mais igual que outra.

Aliás, isso é´para mulheres hétero apenas ou gays também? Se puder as duas

Tirando o sexismo legislativo de lado, ainda assim eu fico meio receoso. O brasileiro não sabe o mínimo conceito de segurança e mesmo arma não-letal pode sim ser letal. E ainda tem o fator imbecilóide como disparar spray de pimenta numa boate.

Quando bandeiras viram armas, garrafas, latas de cerveja, chinelos etc também, arma não-letal será usada de forma bem criativa. Como eu falei, brasileiro é psicopata pra natureza. Eu acho que não deveriam ter acesso a algo mais contundente que espátula de passar margarina. Ou libera logo, começa a bobagem da Nova Era e todo mundo se mata. Tipo Purgue, mas 365 dias por ano.

E, claro, tem aquele sexismozinho gostoso. Só quero saber se isso vale para mulheres e homens trans. Com um pouco de (muito) boa vontade, mulheres gays também, mas homens gays não. Bem, não, não quero saber. É muita estupidez para pouca lei.


Fonte: Caverna de Ali Babá

Deixe uma resposta