O novo diretor da Polícia Federal, Fernando Segovia, afirmou que vai trabalhar para construir uma nova relação da corporação com o Ministério Público Federal. Historicamente, as duas instituições travam uma queda de braço sobre o protagonismo em investigações criminais. No mais recente capítulo, a Procuradoria-Geral da República recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a prerrogativa de delegados de polícia de firmar delações premiadas. “Chegou a hora de mudar tudo isso”, afirmou Segovia.

Após sua nomeação para o comando da PF na sexta-feira (10), o delegado esteve no gabinete da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para uma primeira conversa. Foram mais de duas horas de bate-papo. Acompanhada de alguns dos seus principais auxiliares, a chefe do MPF, segundo Segovia, afirmou que as duas instituições têm maturidade suficiente para sentarem à mesa e discutirem suas divergências.

>> Mais notas a coluna EXPRESSO