O Brasil ocupa o segundo lugar no ranking dos países que mais realizam cirurgias plásticas no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. De acordo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps, na sigla em inglês), o número de brasileiros que recorre às intervenções cresce a cada ano. Entre os fatores que justificam o aumento da procura pelos procedimentos, está o avanço da tecnologia, que permite tratamentos mais rápidos e menos invasivos.

Tempos atrás, por exemplo, era necessário se submeter a agulhadas profundas para suavizar linhas de expressão. Hoje, um simples laser dá conta do recado. Os consultórios, antes frequentados por pessoas consideradas extremamente vaidosas e um tanto quanto corajosas, passaram a ser reduto também de quem quer dar um simples up na autoestima, sem precisar passar por grandes intervenções.

Pensando em destacar as mais modernas e atraentes técnicas da medicina estética, o Metrópoles reuniu três dermatologistas. A pedido do portal, cada um dos especialistas selecionou dois métodos que prometem fazer a cabeça dos pacientes ainda neste ano. Entre as apostas, estão procedimentos indolores e de ação imediata. Confira:

Lipo química
A técnica não cirúrgica é usada para combater a gordura localizada em pequenas regiões do corpo, como a papada e os flancos. “O ácido desoxicolato é aplicado em micropontos da região, gerando um processo de destruição e ruptura das células de gordura”, explica a dermatologista Claudia Marçal.

A promessa é eliminar de vez o excesso de tecido adiposo em até dez sessões, com duração de 30 minutos cada. O tratamento tem recuperação mais rápida e menos dolorosa do que a tradicional lipoaspiração, segunda cirurgia mais feita no país, ficando atrás da prótese de silicone. Questionada sobre o valor do procedimento sem cortes, a médica optou por não revelar.

Getty Images

A técnica promete eliminar a papada de maneira não cirúrgica

 

Harmonização do contorno labial
Claudia conta que a boca é uma tendência dentro dos consultórios. “As pacientes estão falando cada vez menos de volumização e, sim, de harmonização de contorno das comissuras labiais (que puxam o sorriso para baixo e dão ar de cansaço). Por meio do uso de ácidos hialurônicos, preenchemos acima da linha da mucosa, apenas para fazer uma super-hidratação”, afirma.

“Injetamos também no contorno dos lábios para demarcar onde acaba a mucosa e começa a pele”, complementa. O tratamento, segundo ela, devolve o formato à boca, perdido com o avanço da idade. O resultado é uma feição mais jovial e harmônica. O efeito da aplicação, queridinha de Kylie Jenner e Cleo Pires, dura de 8 a 12 meses.

Getty Images

O tratamento devolve o formato à boca

 

Fio de PDO
“Sem dúvidas, uma das novidades da estética é o fio de PDO (composto de polidioxanona), que promove o efeito lift natural ao estimular à produção de colágeno”, aponta a médica Fernanda Seabra.

O procedimento é indicado para quem tem flacidez de face e do pescoço, queda da sobrancelha, bigode chinês, rugas e o famoso “umbigo triste”. Com duração de um ano, o efeito lift é imediato. O método é apontado como o segredo da juventude de Cindy Crawford e Kate Beckinsale, por exemplo. De acordo com a dermato, o valor da técnica gira em torno de R$ 1.500.

Getty Images

Fio de PDO reverte o famoso “umbigo triste”

 

Sculptra
Outro aliado da produção de colágeno apontado por Fernanda é o tratamento Sculptra. O método consiste em aplicações de poli-L-lático, uma substância que não prejudica o organismo e promove o rejuvenescimento da cútis. “Doses do produto são injetadas sob a pele e melhoraram o contorno do rosto, além de atenuar as linhas de expressão”, exemplifica a profissional.

A recomendação é de duas a quatro sessões (R$ 1.800, cada), com intervalos de 30 a 60 dias. “Os resultados tornam-se visíveis em dois meses”, garante. Após concluída, a técnica tem efeitos que duram, em média, dois anos. Boatos de que Madonna está entre as adeptas do recurso.

Getty Images

A técnica atenua os sulcos e as linhas de expressão

 

Drug delivery 
Erasmo Tokarski aponta a drug delivery como a grande inovação dos últimos tempos. O procedimento faz com o que substâncias, como a toxina botulínica, sejam absorvidas sem o uso de agulhas. É indicado, por tanto, para pacientes que têm receio de métodos intradérmicos. A laser, o tratamento pode ajudar a combater rugas, manchas e cicatrizes. “O drug delivery possibilita a recuperação imediata da pele”, afirma o médico. “A técnica está chegando a Brasília. Não há como precificar ainda”, diz.

A dermatologista de Xuxa, Angélica, Claudia Leitte e Deborah Secco, Karla Assed, também acredita que a metodologia é uma das boa novas do mercado.

Getty Images

Pele com efeito de aplicações de botox, só que sem as temidas agulhadas

 

Ultrassom microfocado
O tratamento não invasivo trata a flacidez da face e do pescoço e é ideal para quem deseja retardar o lifting cirúrgico. “Ele provoca a contração do colágeno, estimulando formação de um novo colágeno”, diz Erasmo.

A maior sustentação da pele, de acordo com Tokarski, pode ser sentida dois meses após o uso do ultrassom, que deve ser aplicado uma vez ao ano. A atriz Juliana Paes é fã do método, que pode chegar a custar R$ 5 mil por sessão.

Getty Images

Não invasivo, o método trata a flacidez da face e do pescoço

Deixe uma resposta