A Netflix lançou no último final de semana a sua nova série, Sex Education. A produção traz um panorama sobre o início da vida sexual de um grupo de adolescentes e como eles lidam com medos, expectativas e tabus. Mas não pense que apenas os mais jovens vão se divertir com a trama. O enredo também aborda a forma como os adultos lidam com o sexo após amadurecer e viver decepções.

O diferencial do seriado é discutir questões sexuais de forma descontraída e bem realista. Entre os temas debatidos estão a pressão sexual, disfunções, traumas, a relação entre sexo e sentimentos, as consequências do ato sexual e como o ambiente familiar afeta a vida sexual.

Confira dez lições sobre sexo que podemos tirar da produção:

(Atenção: o texto abaixo contém spoilers da série)

Pessoas podem querer coisas diferentes do sexo
Cada personagem do seriado tem uma visão diferente sobre sexo. Para alguns é uma obrigação, outros veem como diversão. Há quem tenha medo e quem acredite que seja uma etapa para um relacionamento. Parte intrigante do show é ver pessoas com ideias e expectativas diversas se relacionando (assim como acontece na vida real).

Isso pode ser observado logo no primeiro episódio. Enquanto a terapeuta sexual Jane Milburn (Gillian Anderson) trata o sexo como uma atividade casual, seus parceiros tendem a se apegar e esperar mais do que apenas um caso de uma noite. De forma paralela, a jovem Maeve Wiley (Emma Mackey) também mantém uma visão descompromissada de sexo, enquanto seu parceiro Jackson Marchetti (Kedar Williams-Stirling) cria sentimentos a partir da relação.

É interessante notar que, na série, são as mulheres que preferem manter as coisas casuais. As personagens femininas são mulheres fortes, independentes e bem resolvidas.

Falar sobre sexo pode ser embaraçoso
Ao longo dos oito episódios, sempre tem alguém com algum tipo de medo ou dificuldade relacionado ao sexo. É comum as pessoas se sentirem envergonhadas em pedir ajuda e se abrir sobre problemas nessa área. Boa parte dos personagens responde ao embaraço se fechando e desconversando. Muito disso também está ligado ao medo de parecer inexperiente diante dos amigos.

Homens também fingem orgasmo e podem ter dificuldades
As mulheres costumam se culpar pelo que dá errado no sexo. Inclusive, essa é a atitude da personagem Aimee Gibbs (Aimee Lou Wood) quando o namorado Adam Groff (Connor Swindells) não goza. A verdade é que muitas vezes o parceiro pode estar com problemas. No caso de Adam, a pressão psicológica o impede de relaxar e ele acaba fingindo o orgasmo.

No caso de Otis, o personagem tenta perder a virgindade com Lily Iglehart (Tanya Reynolds), mas traumas familiares o impedem de se relacionar sexualmente. É importante entender que se alguém falhar, o outro não tem nenhuma culpa.

Os pais podem afetar bastante a forma como lidamos com a sexualidade
Nossos progenitores são capazes de afetar muito mais do que nossa personalidade. O melhor exemplo disso é o protagonista da série, Otis. Ele cresceu com dois pais terapeutas sexuais e, por conta de uma traição por parte do pai, se tornou reprimido, associando sexo a algo ruim. A liberdade sexual da mãe também fez com que ele ficasse constrangido com o assunto. O adolescente também é quem tem mais dificuldades em lidar com seus problemas, apesar de dar ótimos conselhos aos colegas.

Maeve, por sua vez, foi abandonada pelos pais e por isso aprendeu a ser independente muito jovem e evita qualquer conexão mais profunda. Isso explica sua preferência pelo sexo casual.

Camisinhas não são 100% eficazes 
Apesar de ter usado camisinha, Maeve acaba ficando grávida na série. Ela resolve abortar a criança e, durante uma consulta, a médica explica que o contraceptivo não é totalmente seguro. O fato não é exatamente uma novidade, mas muitas pessoas acabam desconsiderando o 0,1% de chance de algo dar errado. Fica o aviso: apesar de usar camisinha (ou outro qualquer outro método), existe uma possibilidade (ainda que pequena) de uma possível gravidez.

Mulheres que exploram sua sexualidade ainda são mal vistas 
Em diversos momentos, a vida sexual das adolescentes são usadas como forma de bullying e constrangimento. No caso de Maeve, um boato rende o apelido de “Morde-pau”  entre os colegas e isso destrói sua imagem. Aimee também é julgada de acordo com quem namora, e se ele melhora ou não seu status social. Outra garota tem um nude vazado e todos criticam a aparência de sua vagina. Ainda que tenhamos progredido em vários sentidos, alguma questões cruéis permanecem iguais.

De um jeito ou de outro, todo mundo se sente pressionado
Seja para ter a primeira vez, corresponder às expectativas ou não se sentir atrasado diante dos colegas, a maioria das pessoas já sentiu algum tipo de pressão relacionada ao sexo. A série passa uma mensagem positiva de que cada um tem seu tempo e não é necessário fazer algo só porque isso é o esperado.

Auto-conhecimento é essencial
Para muitos, é na adolescência que a sexualidade é descoberta. A personagem Aimee está acostumada a fingir orgasmos e se comporta como se estivesse em um pornô, sempre agradando os parceiros. Isso muda quando um namorado novo a pergunta o que ela gosta e ela não tem resposta. Ela então parte numa jornada de auto-descobrimento através da masturbação.

Essa parte da trama é uma lição e tanto porque muitas mulheres têm dificuldade em se tocar e descobrir o que as excita. Portanto, descubra o que te enlouquece e invista nisso.


Enviar nudes pode causar confusão
Não tem nada de errado em mandar fotos suas pelada (o) para o (a) crush. O sexting já virou parte das relações modernas. Mas tenha certeza que você pode confiar na pessoa e evite mostrar o rosto. Na série, um ex usa uma foto para tentar chantagear uma garota. Um caso clássico de revenge porn.

Em algum momento da vida, todos precisam de ajuda
Não importa se você é experiente ou está começando a transar. Se tiver algum problema relacionado a sexo, busque conversar com alguém que o ajude a lidar com a situação, de preferência um profissional. A produção também realça a importância de contar com alguém para falar sobre essas questões, então mantenha os amigos por perto.

Deixe uma resposta