Muita gente é fascinada por café. Além de ser gostoso, os efeitos da cafeína no organismo deixam o ser humano mais acordado – e atento. Esses efeitos, no entanto, podem não ser resultado só da cafeína. Segundo um estudo de pesquisadores das Universidades de Monash, na Austrália, e Toronto, no Canadá, apenas pensar em café pode ser suficiente para animar a mente e deixar as pessoas mais focadas.

Os cientistas alertam, no entanto, que para isso funcionar a pessoa precisa gostar de café – e associar seu consumo à ideias de alerta e produtividade. Aqueles que não são fãs podem não sentir nada.

O objetivo do estudo era responder a seguinte questão: “durante a inevitável crise do meio da tarde, apenas pensar em café poderia eliminar a necessidade de tomar um cafezinho?”

De acordo com os pesquisadores, sim. No estudo, após 4 testes com participantes de Austrália, Canadá e Estados Unidos, os pesquisadores atestaram que as sugestões a café (em pensamento ou estar em um ambiente com café, mas sem consumi-lo) podem ser suficientes para acelerar os batimentos cardíacos, aumentar a empolgação e dar a pessoa a energia para se concentrar mais em tarefas urgentes.

Em termos práticos, os pesquisadores notaram nos voluntários soluções mais concretas e precisas, além de uma redução na procrastinação deles.

Para os pesquisadores, tanto a excitação subjetiva quanto a fisiológica explicam esses efeitos. Eles situam o resultado em algo que os psicólogos chamam de chamam de “Construal-Level Theory”, uma teoria que afirma que as pessoas podem processar informações ou imaginar eventos em modos amplos ou específicos.

Eugene Chan, um dos autores do estudo, explicou isso em um ensaio sobre sua pesquisa: “Por exemplo, pense na ação ‘sentado na aula’. Quando você pensa sobre esse comportamento, você se vê principalmente ‘prestando atenção ao professor’ ou ‘sentando-se fisicamente em uma cadeira’? O primeiro é mais abstrato, enfocando as razões pelas quais você se sentaria na aula, mas o segundo é mais concreto, físico, concentrando-se em como você se sentaria na aula”. Segundo ele, as sugestões ao café podem causar os dois efeitos: você pode até se imaginar bebendo café, mas acaba também projetando os resultados de inserir efetivamente a bebida.

Os pesquisadores apontam que pesquisas futuras, com amostras maiores, são necessárias para entender melhor esses resultados. Até porque isso é puramente psicológico, e os próprios efeitos estimulantes da cafeína não funcionam para todos.

Deixe uma resposta