Numa primeira ação em meio às incertezas provocadas pelas denúncias contra o presidente Michel Temer, o Ministério da Fazenda anunciou o cancelamento de leilões de títulos prefixados do Tesouro.

Essa estratégia visa tentar controlar a volatilidade diante das turbulências causadas pelas revelações de Joesley Batista, dono da JBS.

Em comunicado ao mercado, o Tesouro informou que não realizará os leilões de venda de títulos prefixados (LTN) e papeis atrelados à taxa Selic (LFT).

Foram canceladas a LTNs com prazos de vencimentos em 01/04/2018, 01/04/2019 e 01/07/2020 e LFT, com vencimento em 01/03/2023. Os leilões estavam programados para hoje.

Quando há grande volatilidade dos mercados, o Tesouro adota a estratégia de suspender os leilões e, em momentos mais críticos, pode anunciar a recompra de títulos que estão nas mãos dos investidores. A percepção é de que o momento é muito grave e a equipe econômica quer sinalizar que está preparada para agir com rapidez, com todos os instrumentos de que dispõe.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, está em seu gabinete acompanhando a evolução do mercado e cumprindo a agenda oficial. Ele já se reuniu nessa manhã com representantes do Fundo Monetário Internacional (FMI) que estão no País justamente para uma avaliação da economia brasileira.

Meirelles e sua equipe trabalham com dias de grande instabilidade nos mercados. “Estamos todos tateando pra ver a extensão da volatilidade”, disse uma fonte da área econômica.

The post Tesouro age e cancela venda de títulos prefixados para controlar volatilidade appeared first on ISTOÉ DINHEIRO.