As fabricantes de smartphones têm tentado trazer uma melhor qualidade de áudio para quem gosta de ouvir um bom som. Claro, a experiência fica mais completa quando um fone de ouvido legal é capaz de garantir aquela viagem sonora, seja no trajeto para o trabalho ou qualquer outro. Daí temos o urBeats3, um periférico de fácil usabilidade que promete um som otimizado para qualquer estilo de música. Vale a pena colocá-lo na lista de desejos? Confira mais em minha análise abaixo.

Não vou negar que a Beats traz sempre um bom design em seus fones de ouvido. Isso não é diferente com o urBeats3. O periférico é bem casual, mas não deixa de mostrar, ao mesmo tempo, algo elegante. Ele é compacto e acompanha um estojo para deixá-lo a salvo de se enroscar dentro da mochila. Testei a versão com conector de áudio de 3,5mm, mas há uma com conector Lightning.

Foto: Thulio Falcão/Tecnosense

O que nos leva a outro aspecto legal. O cabo é achatado e as pontas são magnéticas. O que dificulta ainda mais o fone ficar todo enrolado e desgastado. O acessório ainda possui o RemoteTalk para atender chamadas, pular músicas e aumentar ou diminuir o volume. Fica uma observação aqui. Usei o urBeats no Zenfone 4 e no Samsung Galaxy S8+. Nos dois smartphones, foi preciso mexer no celular para diminuir ou aumentar o volume. Ao menos, a integração com o Google Now funcionou bem.

Design

O formato intra-auricular não me agrada, confesso. Eu sempre machuco meus ouvidos por conta disso. Com o urBeats3 não foi tão diferente. Não sei se a Beats pensou nesse tipo de consumidor (feito eu), mas o fone acompanha pontas com vários tamanhos. São quatro, ao todo. Então se torna fácil usar sem tanto incômodo.

urBeats3 da Beats
Foto: Thulio Falcão/Tecnosense

Mas, óbvio, estamos falando de um fone intra-auricular. Modelos do tipo, não exclusivo somente ao da Beats, machucam depois de um bom tempo no ouvido. Minhas playlists no Spotify vão de 40 minutos a 1h30. Um tempo ok, que consegui usar o acessório sem tantos “estragos”. Mas se você costuma utilizar fones na hora de dormir, não recomendo porque não há uma posição legal para mantê-los. É totalmente desconfortável.

O periférico acompanha ainda dois pares de presilhas – com tamanhos variados – para fixar bem no ouvido. Não são confortáveis, mas achei uma sacada legal da Beats para quem tem problemas com o fone caindo o tempo todo. Na hora de praticar atividades físicas – musculação ou corrida, por exemplo – em nenhum momento tive problemas com isso. Mas volto a ressaltar que, após um bom tempo de uso, essas abas fixadoras também se tornam desconfortáveis.

urBeats3 da Beats
Foto: Thulio Falcão/Tecnosense

Desempenho do urBeats3

O urBeats não deixa muito a desejar no quesito qualidade de áudio. Claro, há um ponto aqui ou lá a melhorar. Começando pela parte boa, o grave se destaca bastante aqui, como todo fone da marca. É possível ouvir com clareza e sem ruídos. O mesmo não acontece com agudos ou médios. Há perda de qualidade e um chiado ao fundo. Sabe aquele som que um tocador de vinil produz quando a agulha toca no disco? Então, é isso.

No Zenfone 4, a Asus trouxe um assistente de áudio em que eu consegui diminuir esse ruído personalizando os efeitos. Já no Galaxy S8+, sem sucesso. Não é nada perturbador, mas dá a impressão que o fone vai falhar a qualquer momento. O sistema estéreo também é estranho. Ele não é equilibrado e pende para o canal esquerdo. A impressão é que seu ouvido direito está entupido porque há um desnível no volume.

urBeats3 da Beats
Foto: Thulio Falcão/Tecnosense

Por falar em volume, voltamos para mais uma qualidade do fone. Eu sou o tipo de pessoa que coloca a música no máximo para não ser interrompido por alguém enquanto estou esperando algo (desculpa). Nisso, o urBeats faz bem seu trabalho. Ele consegue evitar ruídos externos mesmo quando o volume está baixo. Aliás, não é nem preciso deixar numa altura em que a pessoa ao lado também ouça a sua playlist. As pontas do fone conseguem realmente isolar o áudio, permitindo aproveitar as faixas de boa.

Posso dizer que o urBeats3 é…

… é um fone interessante, mas capaz de espantar no quesito preço. O modelo da Beats pode ser encontrado por R$ 599 no site da empresa e em outras lojas. É um valor um pouco alto para um fone que traz graves ótimos, mas uma performance apenas ok, no geral. A impressão é que o os principais concorrentes do uRBeats são modelos da própria marca. Basta conferir no site outras opções com diferenças nem tão grandes de preço.

Escrito isso, o fone tem design compacto e material que passa confiança de durabilidade. Isso merece um crédito. Até porque, quem nunca teve uma experiência negativa com um fone que sai da caixa já com prazo de validade determinado? A máxima de que “vale a pena pagar um pouco mais caro para ter um pouco mais de qualidade” pode cair bem aqui. Nada como parcelar em várias vezes por isso.

O post urBeats3 da Beats apareceu primeiro em Tecnosense.