A entrada do prédio do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) do Riacho Fundo 2 ficou alagada após o vazamento da rede de esgoto no domingo (4/11). No vídeo, gravado por um servidor, é possível ver o local inundado e dificultando a passagem das pessoas.

Segundo o Sindicato dos Servidores da Assistência Social e Cultural do Governo do Distrito Federal (Sindsasc), o atendimento foi suspenso e todos os que trabalham na unidade acabaram dispensados na segunda-feira (5/11). Ainda de acordo com os servidores, uma equipe da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) desobstruiu a caixa de esgoto e lavou o gramado com água. Porém, o mau cheiro teria persistido.

O presidente do Sindsasc, Clayton Avelar, diz que o prédio da unidade de atendimento não possui a estrutura adequada.  “O Cras do Riacho Fundo 2 é a nossa pior unidade em todo o DF. Há alguns anos, o local era utilizado para estocagem de adubo. Lá não tem divisão interna. Somente a recepção tem divisórias. Não temos isolamento nem vedação acústica para atendimento individualizado aos usuários”, explica.

Outros problemas
Além da falta de estrutura, servidores e usuários da assistência social no DF se queixam da falta de segurança e de pessoal. Conforme o Sindsasc, na unidade de Santa Maria, foi registrado um caso de violência no qual pessoas tentaram forçar a entrada pelo portão. Um homem chegou a ameaçar os seguranças com um banco.

O Centro de Convivência (Cecon) da região foi alvo de três assaltos em apenas um mês. Os crimes foram registrados entre fevereiro e março. Em um deles, uma funcionária foi agredida fisicamente durante o dia.

Já foram furtados computadores, microondas, impressoras e um botijão de gás.  Além disso, o local chegou a ser palco de tiroteios.

Em Samambaia, a situação não é tão diferente. Em 2017, um assalto à mão armada ocorreu no Cras, durante pleno horário de atendimento. Outra questão é a falta de pessoal. Segundo o Sindsasc, são necessários mais 1.500 servidores para atender à demanda.

Procurada, a Secretaria de Estado do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh) não havia se pronunciado até a última atualização desta reportagem.

O Cras é uma unidade responsável pela oferta de serviços de proteção básica do Sistema Único de Assistência Social.

Deixe uma resposta